Você não terá todos os benefícios que a vigilância patrimonial pode trazer ao seu negócio sem antes conhecer o perfil, as atribuições e muito mais do vigilante patrimonial. Suas atribuições são de extrema importância na segurança, ele é o profissional treinado e capacitado para proteger o patrimônio de empreendimentos e a integridade física de pessoas.

Você sabe o que realmente importa para conseguir uma vigilância de alta qualidade? E ainda, quais são as principais razões para você contratar um vigilante patrimonial?

O segurança patrimonial pode lhe oferecer muito mais do que o “padrão”, desde que você saiba tudo o que pode cobrar deste profissional. Vamos fazer aqui uma varredura que irá otimizar este seu serviço.

O que é um vigilante patrimonial?

Não pule esse tópico, pois antes de falarmos sobre o que faz e o que não faz o homem da segurança é importante abordar alguns pontos desse profissional.

Nos dias de hoje, o vigilante patrimonial é o único profissional do serviço de segurança patrimonial efetivamente regulamentado pela legislação brasileira, pela Lei no 7.102, de 20 de junho de 1983 e fiscalizado pelo Ministério da Justiça, por meio da Polícia Federal.

Outro ponto, é que as funções de portaria e vigilância patrimonial são totalmente distintas.

Embora o porteiro tenha uma função de controle, essa função é apenas um apoio à segurança patrimonial, já que ele não tem qualquer autonomia para executar atividades relativas à vigilância patrimonial.

Ou seja, se você notar que um porteiro está trabalhando como vigilante em um condomínio, uma empresa ou qualquer outro empreendimento, saiba que isso é ilegal e que patrimônio e pessoas do local e o próprio porteiro estão em risco.

Semelhante a isso, é preciso ter em mente que vigia e vigilante patrimonial não são a mesma coisa e tão pouco têm a mesma função.

Outro ponto é que o vigilante patrimonial é o único profissional da segurança privada que tem autorização para portar arma de fogo. É importante saber como a vigilância armada funciona, os seus prós e contras.

Entretanto, vale destacar que o profissional precisa ser aprovado no Curso de Formação de Vigilantes, tirar a CNV – Carteira Nacional do Vigilante e ser contratado por uma empresa de segurança patrimonial credenciada.

Resumindo, a vigilância patrimonial é coisa séria, não pode ser feita por amadores ou clandestinos. Jamais coloque em risco vidas e seu patrimônio por uma pechincha. O preço no futuro pode ser alto demais.

É muito importante ter atenção a esses pontos antes de contratar um serviço de vigilância patrimonial. Entenda como escolher e contratar uma empresa de segurança e portaria para obter os melhores benefícios.

A tecnologia aplicada a segurança patrimonial vs. a presença do vigilante

Embora a tecnologia em segurança patrimonial esteja gradativamente mais forte e, por consequência, mais presente nesse serviço, não há como substituir a presença deste profissional, inteligência e expertise.

Por mais inovador que um recurso de tecnologia seja, apenas um profissional com olhar treinado e cauteloso pode identificar uma ação ou intenção suspeita, com risco potencial às pessoas e ao patrimônio.

Assim, contar com o vigilante patrimonial é essencial e indispensável, por isso a necessidade em se conhecer a fundo:

  • O que faz um vigilante patrimonial;
  • Quais são seus limites de ação, e;
  • Qual é o motivo desse profissional ser valioso para a sua proteção?

Agora podemos falar melhor sobre quais são as funções de um vigilante patrimonial.

Quais são as funções de um vigilante patrimonial?

O vigilante patrimonial é o elemento chave da segurança. A importância de sua função está em fazer com que se cumpram todas as normas de segurança e que a ordem seja mantida.

Para exercer suas funções, é preciso que o profissional seja muito organizado, disciplinado e comprometido com a segurança, de modo a nunca se omitir de fiscalizar, controlar e vigiar.

De modo geral, o trabalho do vigilante patrimonial tem forma preventiva, para que nada de anormal prejudique o funcionamento do local ou algo pior, como a integridade física de pessoas.

Então, com uma segurança preventiva são evitados riscos, ameaças e falhas em qualquer local e sobre pessoas. Para isso, o vigilante deve ter aptidão física e mental para manter o controle ambiental assim como avaliar atitudes e comportamentos.

O vigilante patrimonial pode exercer suas funções em empresas públicas ou privadas, instituições financeiras, escolas, condomínios e outros empreendimentos.

Claro que para cada tipo de local, as necessidades são diferentes, mas independente disso, suas atribuições são as mesmas e com o mesmo objetivo: a proteção.

Como o vigilante patrimonial deve agir em situações de emergência?

Existem muitos exemplos de emergências com a atuação do vigilante patrimonial, traremos dois deles, mas todos eles incluem de modo geral, ações que pedem calma, equilíbrio, estratégia e apoio policial.

Em caso de roubo, como o vigilante deve agir?

  • Evitar pânico, manter a calma e comunicar-se com a polícia o quanto antes;
  • Acionar reforços da empresa de segurança patrimonial;
  • Reagir apenas se estiver certo de que não colocará a própria vida e a de terceiros em risco;
  • Fazer observação rápida e atenta de toda a situação: o quê? quando? onde? como? quem? quais foram as rotas de fuga?
  • Preservar o local do crime para que a polícia possa coletar e analisar os dados.

Em caso de tumulto e pânico, como o vigilante deve agir?

  • Manter a calma e controlar o público;
  • Fazer a evacuação do local de forma rápida e discreta, seguindo um plano de abandono;
  • Se não for possível controlar e conseguir a ordem por seus próprios meios, acionar a polícia;
  • Ser imparcial e equilibrado em suas ações, lembrando de que em uma situação assim, as pessoas estão com os ânimos exaltados, portanto, a imparcialidade, o equilíbrio emocional e o diálogo são os melhores recursos.

Um vigilante só tomará atitudes impensadas se não tiver treinamento e qualificação suficientes para exercer sua função, porém, esse tipo de inconsequência não acontecerá com profissionais de boas empresas de segurança patrimonial.

 

O perfil do vigilante patrimonial

Ter sucesso em todas essas atribuições é consequência de muito treinamento e um perfil adequado à profissão.

Como deve ser o perfil do vigilante?

  • O vigilante patrimonial deve exercer suas funções com cortesia, respeito, civilidade, honestidade e bravura.
  • O segurança deve ter conduta impecável, sendo de total confiança e discrição.
  • Além de características morais, o vigilante deve estar sempre alerta a tudo e todos, tendo controle da situação sob seus olhos.
  • A vigilância deve atuar sempre em caráter preventivo, para impedir qualquer ação suspeita com agilidade e antecipação.
  • É de suma importância que o vigilante tenha total conhecimento técnico e tático de suas funções.

Sendo que estes conhecimentos são adquiridos em Curso de Formação de Vigilantes com conteúdo completo em segurança patrimonial, primeiros socorros, prevenção e combate a incêndios e outros temas relevantes.

Resumindo, o vigilante patrimonial deve ser um profissional pronto e capaz de manter a ordem, proteger o patrimônio e as vidas que ali se encontram.

Por: Grupo Iron