Uma morte violenta ocorre no Brasil a cada 12 minutos, em média. O número de assassinatos é alto, mas o primeiro semestre de 2019 registrou uma queda de 22% no número de mortes violentas quando comparado com o mesmo período de 2018.
Foram 21.289 assassinatos nos primeiros seis meses deste ano ante 27.371 no mesmo período do ano passado, seis mil a menos. Os dados são do Monitor da Violência, levantamento realizado pelo G1 em parceria com o Núcleo de Estudos da Violência da USP e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.
Todos os estados apresentaram redução de assassinatos, e dentre os motivos que levaram a essa melhora estão o investimento em inteligência policial e a adoção de programas de prevenção social.

A TECNOLOGIA A FAVOR DA SEGURANÇA!

O uso de tecnologia não é uma solução isolada para os problemas de criminalidade, porém ajuda a coibir ações criminosas e auxilia na identificação de criminosos quando aplicada de forma correta.
A especialista em câmeras de segurança Joelma Dvoranovski explica que um projeto de segurança eficaz começa pela escolha correta dos equipamentos.
Outro fator que coloca em risco as soluções tecnológicas na área da segurança é que conferir a qualidade das câmeras, por exemplo, é complicado. Quando novo, um aparelho de má qualidade pode até se mostrar eficiente. Os problemas começam a surgir quatro ou cinco meses depois.
Cada caso um projeto especial
A especialista em segurança Joelma Dvoranovski ficou conhecida quando, em 2007, o MASP (Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand) foi alvo de criminosos. Os quadros “O Lavrador de Café”, de Cândido Portinari, de 1939, e “O Retrato de Suzanne Bloch”, de Pablo Picasso, de 1904, foram levados por ladrões em questão de minutos.
A Polícia conseguiu recuperar as obras, e Dvoranovski forneceu um novo projeto de segurança para o Museu. Com expertise, é possível customizar qualquer tipo de projeto, desde bancos, passando por condomínios até sistemas mais complexos, como hidrelétricas e plantas fabris.
1. Condomínios
Um sistema de segurança para condomínios engloba vários fatores, como, por exemplo, cercas elétricas em todo o perímetro com a utilização de câmeras térmicas para diferenciar pequenos animais de criminosos.
Na entrada e saída também devem ser usadas câmeras identificadoras com biometria. Além disso, um cadastro prévio deve ser realizado com todos os funcionários e moradores, dificultando a entrada de indivíduos sem autorização no local.
Outro cuidado essencial é que devem ser instaladas câmeras que possibilitem a captação de imagens contínuas em diferentes pontos. Muitas vezes os equipamentos são escolhidos ou instalados de forma errada e se perde de vista os criminosos em pontos cegos.
2. Varejo
Em lojas que atendem o público pode-se implementar sistemas de segurança para proteger os clientes e os funcionários, diminuindo, assim, a incidência de subtração de mercadorias e identificação de suspeitos.
Novamente se faz necessária a utilização de equipamentos corretos e que não vão gerar pontos cegos. Com a intimidação de criminosos e monitoramento dos funcionários, é possível aumentar os lucros do estabelecimento comercial.
3. Monitoramento Urbano
O sistema de monitoramento urbano é um auxiliar para a segurança pública porque as câmeras de segurança atuam na prevenção e na correção de atos ilícitos.
Formado pela interligação de câmeras, sonorização e softwares especializados que ampliam as áreas monitoradas da cidade, esse sistema ainda ajuda na mobilidade dos policiais quando necessários.
4. Hospitais
Os hospitais devem possuir cancelas com câmeras de segurança para monitorar o movimento nos estacionamentos, ter acesso através de catracas e identificação de visitantes.
Todas as áreas também podem possuir câmeras de segurança com uma ferramenta especial chamada WDR (Wide Dynamic Rangers), que diminui a luminosidade causada pela intensa cor do branco. Desta forma é possível coletar imagens com altíssima qualidade.
Pode-se, ainda, implementar softwares de monitoramento inteligente capazes de detectar movimentos suspeitos em áreas de acesso restrito. Uma solução de segurança para um hospital engloba análise de vulnerabilidade de todos os setores do empreendimento.

Fonte: Exame/Dino