Um dos itens mais comuns e encontrados em residências e empresas é o alarme de segurança. Sua função é alertar os usuários quando um possível roubo está prestes a começar. Por isso, é essencial que ele funcione corretamente para evitar problemas.

No artigo de hoje, nós vamos apresentar alguns dos principais riscos que você pode estar exposto por não ter alarme e quais são as causas dos falsos alertas. Confira!

Roubos e assaltos

Quando um imóvel é invadido uma vez e, teoricamente, os invasores saem bem sucedidos do crime, os meliantes ganham a confiança para invadi-lo novamente, uma vez que o local não é protegido.

Quando um alarme de segurança é instalado, além da prevenção contra roubos e assaltos, o som coloca os invasores em estado de medo/fuga, reduzindo o prejuízo e deixando os vizinhos em alerta sobre uma possível invasão.

Sequestros 

A maioria dos assaltantes, geralmente, ´´estudam´´ bem uma casa e empresa antes de assaltá-la. Por isso, conseguem saber se o local possui sinais de segurança, como alarmes, cachorros ou equipamentos de monitoramento.

Além de roubos e assaltos, outro risco que as pessoas correm por não terem um alarme instalado é a possibilidade de serem sequestrados e feitos de refém.

De acordo com uma pesquisa feita com 422 detentos, realizada pelos pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte, 60% disseram que se descobrissem a presença de um alarme durante a invasão, desistiriam de assaltá-lo na mesma hora.

Latrocínios

O latrocínio é um crime penal de assalto à mão armada, podendo o objeto ser utilizado somente para intimidar, causar lesões corporais ou homicídios (morte da vítima). Ou seja, um simples alarme é capaz de evitar grandes estragos.

Em suma, os ambientes com alarmes são muito mais seguros porque despertam receio nos criminosos. Porém, às vezes, quando um alarme dispara, não quer dizer que está acontecendo uma invasão.

Existem alguns motivos para os falsos alarmes acontecerem. Conheça três:

Instalação fora do padrão

Para maior alcance das áreas de detecção, o sensor deve ser fixado a 2,20 m do piso e sempre que possível no canto, entre o teto e a parede. Ele também deve manter uma distância de pelo menos 1,5 m de móveis ou objetos.

Presença de insetos

Teias de aranha em frente ao sensor podem causar detecção, assim como formigueiros construídos dentro do equipamento. Por isso, é importante limpar o ambiente com frequência.

Além disso, em ambientes com grande quantidade de mercadorias e caixas, é possível a existência de ratos. Se não houver como eliminá-los, o ideal é evitar sensores infravermelhos  e utilizar sensores magnéticos ou infravermelhos ativos.

Sensores inadequados

Os sensores são fabricados de acordo com a necessidade do local. Alguns são para ambientes internos, onde não há risco de animais de estimação, entrada e saída de ar.

Outros são para áreas semi-abertas, como as garagens, e devem ser apontados para as paredes para terem uma referência. Por isso, é preciso estar atento para o modelo e o uso que será feito dele.

Por: Blog ProSecurity